Células Estaminais

Células Estaminais

As Células Estaminais – também conhecidas como células-mãe, germinativas ou células-tronco - são células primárias encontradas em todos os organismos multicelulares que têm a habilidade de se renovar por meio da divisão celular mitótica, podendo haver uma diferenciação em células especializadas. Ou seja, são células em que a sua “função” ainda não foi decidida. Têm o potencial de se diferenciarem numa vasta gama de células, incluindo as do cérebro, do coração, dos ossos, dos músculos e da pele. Até ao momento foi confirmado que há células estaminais no cordão umbilical, placenta, medula óssea e nos embriões.

Devido às suas características, estas células são importantes, principalmente na aplicação terapêutica, sendo potencialmente úteis em terapias de combate a Doenças Cardiovasculares, Neurodegenerativas, Diabetes Tipo I, Acidentes Vasculares Cerebrais, Doenças Hematológicas, Traumas na Espinal Medula e Nefropatias.

 

 

Reprodução ou Terapia?

A investigação em células estaminais é uma realidade em todo o Mundo.
Laboratórios e Hospitais trabalham em conjunto na descoberta de novas aplicações. A produção de diferentes tipos de células em laboratório e a sua utilização para recuperar tecidos e orgãos danificados, está a deixar de ser um sonho. Por isso, a investigação em células estaminais do sangue do cordão umbilical é uma das áreas mais promissoras da Biomedicina.
Estudos com células estaminais têm demonstrado que elas podem diferenciar-se em todos os tipos celulares presentes num organismo adulto, e acredita-se que tal processo será controlado em breve.
Tem-se falado muito de clonagem. Na realidade, a maioria dos cientistas não está interessada em produzir clones humanos. O que os cientistas pretendem é produzir células humanas clonadas que possam ser utilizadas para tratar algumas doenças.
Existe muita confusão em relação aos conceitos de Clonagem (reprodutiva e terapêutica), Células Estaminais (embrionárias e não-embrionárias) e Terapia Celular.
Clonar significa produzir uma cópia geneticamente idêntica de um indivíduo. Como é que isto se faria? Os cientistas tirariam o ADN de uma célula epidérmica e colocavam-no num ovo de uma mulher da qual foi previamente retirado o ADN. Uma faísca de electricidade iria dividir o ovo e após alguns dias teria um embrião geneticamente igual a si.

 

A clonagem humana é o processo pelo qual uma célula adulta plenamente diferenciada , ou o seu material genético, de um ser humano, dá origem a uma célula embrionária e, dessa célula se desenvolve um novo ser humano. Este será idêntico geneticamente ao ser que lhe deu origem.
O objectivo da investigação da clonagem humana nunca foi clonar pessoas ou criar bebés para, no futuro, serem dadores de partes ou produtos humanos. Os resultados das investigações sobre clonagem humana e em animais relativamente às células estaminais foram publicadas e, à semelhança de todas as descobertas científicas, estas publicações estão disponíveis a nível mundial.
 

Dolly foi o primeiro mamífero a ser clonado de uma célula de uma glândula mamária.

 Criopreservação de células estaminais

   

 

A criopreservação tem lugar em bancos de células estaminais, laboratórios de alta tecnologia localizados em vários países europeus e, desde há pouco tempo, também em Portugal. É um processo de congelação a temperaturas criogénicas (normalmente recorrendo a azoto líquido). As células estaminais para se manterem viáveis por vários anos têm de ser preservadas a temperaturas abaixo dos 180ºC graus negativos.

O processo de armazenamento das células estaminais  inicia-se com a redução de volume da amostra. Neste processo, são separados os glóbulos vermelhos e o plasma pobre, das células estaminais. À chegada ao laboratório, é retirada uma amostra de sangue para determinar a viabilidade das células do sangue de cordão umbilical e o número de células estaminais.

Após a separação, inicia-se o processo de criopreservação com descida controlada da temperatura. Depois, a amostra é mantida em tanque de azoto líquido durante o tempo de duração do contrato ou até ser requisitada.